Poema imagem
00:00 / 00:32

[imagem]

 

Aos poucos

era subtraída da imagem

aquecida pelo sol

até a sombra noturna

acalmar linhas e tons cinza.

 

A imagem de infância

no papel fotossensível

encontrava o mesmo destino

do menino-moribundo.

 

Lento desaparecimento

excesso de velhice

jogo da alma

inconformada.

 

Linhas derretidas

envolta ao branco absoluto,

por ora amarelado.

 

Corpo vivo de imagens

compondo lentamente

a escuridão absoluta.

JIV

[incorpóreo]

 

Girava lentamente
sob pernas ausentes,
Veríssimos,
Amado.
Capitães de Lírios.

 

Na pausa,
Seleções perversotimistas,
Reader´s Digest 
sem negros, índios, pobres.
Vazio de américa-latina.

 

Girava lentamente
sob pernas 
condenadas
na alma sequestrada.
Sagrada.

 

Girava lentamente
nos sonhos vencidos,
nas portas estreitas
no corpo falho.
Embalsamado.

 

Na pausa,
substância ativa, 
corpo-lazariano,
consciência celeste.
Eletrobíblica.

Paralentamente
à frente do corpo,
o pão,
o vinho.
Incorpóreo.

 

J.I.V

[demasiadamente humano]

 

Era um rabisco

ziguezagueando

a culpa acomodada

 

mente em camadas soltas

aqui e acolá

à espera do autor

içado por outro rabisco

 

ziguezagueando

à forma

disforme.

 

Repetida[mente].

© 2023 por TocaToca. Orgulhosamente criado com Wix.com